São José dos Pinhais lamenta excesso de gols perdidos contra o Cascavel
05/04/2018 17:05 em Futsal - Série Ouro do Paranaense

O excesso de gols perdidos acabou fazendo a diferença na derrota por 3 a 2 do São José dos Pinhais Futsal/Gamma para o Cascavel, na noite da última quarta-feira (4), no Ginásio Ney Braga. O time são-joseense, sobretudo no segundo tempo, foi melhor que o adversário, criou as melhores chances, mas acabou desperdiçando e foi castigado no final da partida. Os jogadores do Tricolor enalteceram a boa atuação e confiam que esse é o caminho para conseguir a recuperação na Série Ouro do Paranaense de Futsal.

 

“A gente tem que aprender com os erros. Vimos que a postura mudou completamente com relação ao jogo contra o Pato Branco. Foi um momento de desatenção no final da nossa equipe. Mas conseguimos construir, jogar, contra-atacar vem e assim vamos buscar o melhor caminho para conseguir as vitórias. Estamos no caminho certo”, apontou o ala Vico, autor do primeiro gol na partida.

 

“A gente vem crescendo dentro da competição. É o nosso segundo jogo e percebe que teve uma evolução muito grande. A postura do time mudou e, diante de um time como o Cascavel não podemos errar. O jogo foi resolvido nos detalhes. A gente está no caminho certo, trabalhando e fazendo as coisas certas, vamos agora buscar os três pontos contra o Toledo”, emendou o pivô Douglas Jesus.

 

Ainda de acordo com Vico, o aspecto ofensivo precisa ser melhorado para a sequência da temporada. O time são-joseense, diante do Cascavel, teve algumas chances em contra-ataques, mas acabou desperdiçando pelo menos cinco chances frente a frente com o goleiro Ari.

 

“A gente vai sentar e analisar o jogo com a cabeça mais fria, mais tranquila. Temos que melhorar o nosso contra-ataque. Tivemos chances e não fizemos. Temos que concentrar mais, terminar o ataque da melhor maneira que é fazendo os gols”, avisou o camisa 11.

 

O pivô Douglas Jesus foi o protagonista da última chance do jogo. Faltando três segundos para o final, o camisa 13 recebeu na área, tirou do goleiro Ari, mas parou na trave. “Foi uma infelicidade pegar na trave. Se faz o gol ali ia ser outro pensamento. É continuar trabalhando e no momento certo a bola vai entrar”, concluiu o pivô do time são-joseense.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!