Balonista Fábio Pascoalino Passos se prepara para as disputas do Mundial Júnior e Pré Mundial na Europa
03/08/2023 09:10 em Outros Esportes

Ele praticamente “nasceu” dentro de um cesto de balão. Aos 23 anos, o paulista Fábio Pascoalino Passos herdou dos pais e do avô a paixão e o talento como competidor.

Filho de Katherine Pascoalino Passos e do pentacampeão brasileiro de balonismo Fábio Passos, o jovem piloto venceu recentemente o Campeonato Brasileiro, disputado em junho em Boituva/SP, e a Copa do Brasil, realizada em quatro etapas, onde ele somou três vitórias (Araxá/MG, Rio Claro/SP e Araçoiaba da Serra/SP) para garantir o título com antecedência.

É a segunda vez que o piloto de Itupeva, no interior paulista, vence ambas as competições. Evento máximo do balonismo no país, o Campeonato Brasileiro também elege os representantes do Brasil para a disputa do Mundial.

Pascoalino é atualmente o número 1 do ranking nacional e também já garantiu vaga para o Mundial Júnior, que será realizado este mês, entre os dias 22 e 27, para pilotos até 27 anos, e o Mundial de 2024 na Hungria, para os melhores do mundo de todas as idades.

O brasileiro já embarca neste domingo (6) para a Europa. Antes do Mundial Júnior, que será disputado na Polônia, ele também participará do Campeonato Nacional Inglês, integrando a equipe de solo do piloto britânico Dan Gregory.

Será a segunda vez que Pascoalino disputará o Mundial Júnior. Na edição de 2021, ele foi o quarto colocado na competição, também realizada na Polônia. O objetivo este ano é lutar pelo título e o piloto parte focado para isso.

Após o Mundial Júnior, ele ainda competirá o Pré Mundial na Hungria, entre os dias 7 e 14 de setembro. A prova servirá como preparativo para o Mundial de 2024.

Na edição de 2022 do Mundial, que aconteceu na Eslovênia, Pascoalino conseguiu um feito importante para o esporte no Brasil e foi o sétimo colocado entre 103 competidores, sendo o mais jovem deles. O bom resultado do piloto abriu mais uma vaga para o Brasil na competição mundial e o país pode levar agora três representantes para a disputa.

“Minha expectativa para o Mundial Júnior é a melhor possível. Treinei e me dediquei muito desde o último Mundial e espero conquistar o título e trazer mais uma vaga para o Brasil no Mundial da Hungria”, comentou Pascoalino, que faz parte da equipe RVB Team desde 2018, mesmo time de seu pai nas competições.

Para chegar bem preparado, o piloto tem treinado intensamente. “Procuro voar aos finais de semana em Boituva, estudo os ventos dos locais das competições e, fisicamente, me mantenho ativo. Gosto de jogar futebol com os amigos e sempre que possível treino na academia, o que ajuda bastante, pois o equipamento é pesado e requer um certo preparo físico”, lembrou.

“Também tenho uma equipe que me ajuda muito e que sempre está comigo nas competições e treinos”, continuou.

Sobre a conquista da Copa do Brasil, encerrada no último final de semana e que contou com 30 balonistas, Pascoalino destacou a grande competitividade. “Não foi uma disputa fácil. Os melhores pilotos participaram e, como são muitas etapas, deve-se manter regularidade na pontuação das tarefas. Todas as etapas foram difíceis, pois foram realizadas em várias cidades e em condições climáticas diversas e desafiadoras”, contou.

O Balonismo no DNA
Com um pai pentacampeão brasileiro e que pilota balões desde 1991 e uma mãe que sempre esteve envolvida no esporte, fazendo resgate e medindo os ventos no solo, foi natural para Pascoalino seguir esse legado no esporte.

Mas, além dos pais, ele também herdou a paixão pelo balonismo de outros membros da família. O avô materno, Wagner Pascoalino, também é piloto de balão e voou com o jovem dos 17 aos 18 anos, quando ele ainda não tinha brevê, mas queria participar das competições. Os tios, primos e avós sempre que podem também formam equipes nos campeonatos.

“Eu digo que faço parte da equipe dos meus pais desde a barriga da minha mãe. Ela ficou grávida no Campeonato Mundial de 1999, na Áustria. No ano seguinte, após o meu nascimento, com 45 dias, fui a Espanha com eles nos Jogos Aéreos Mundiais. Desde então, acompanhei meus pais em todos os Campeonatos Mundiais”, obervou Pascoalino.

“Até os 17 anos, fiz equipe para o meu pai e, sempre que ele podia, me levava no cesto e me ensinava a pilotar. Participar com ele em todos esses Mundiais me deu muita experiência”, disse.

Para finalizar, o melhor piloto do Brasil na atualidade descreveu o que na sua opinião faz um competidor completo no esporte. “Dedicação, determinação, controle emocional, tomada rápida de decisão e acima de tudo, amor ao esporte, pois quem pensa que é tarefa fácil, não é. Os voos são muito cedo, intensos, cansativos e chegam a durar até 2h30”, completou Pascoalino.

Confira alguns destaques da carreira do piloto Fábio Pascoalino Passos:

Principais conquistas
Bicampeão Brasileiro de Balonismo (2021 e 2023)
Bicampeão da Copa do Brasil (2022 e 2023)
Campeão das Etapas da Copa do Brasil 2023 em Araxá/MG, Rio Claro/SP e Araçoiaba da Serra/SP em 2023
Campeão Paulista (2019)
Hexacampeão Brasileiro Júnior (2018, 2019, 2020, 2021, 2022 e 2023)
7º Colocado no Campeonato Mundial de 2022 na Eslovênia em sua estreia na competição (piloto mais novo entre 103 competidores)
4º Colocado no Campeonato Mundial de Juniores na Polônia em 2021

Outros títulos
2018 Campeão 2ª Copa Cordeirópolis de Balonismo
2020 Campeão do 1º Open de Torres de Balonismo
2022 Campeão 3º Festival de Balonismo de Ibaté/SP
2022 Campeão 32º Festival Internacional de Balonismo de Torres
2023 Campeão 3º Festival Fernandópolis de Balonismo

(Texto: Fernanda Gonçalves/Assessoria. Foto: Divulgação)

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!